Poderia ser tweets ou post no facebook ou anotação no caderno

27 de novembro de 2018
Domingo estreou por aqui a série A Amiga Genial na HBO, da Elena Ferrante. Da tetralogia li só os primeiros dois, mas as primeiras linhas já bastaram pra entrar nos favoritos da vida. Li na ilegalidade, mas pretendo mais adiante, quando financeiramente puder, ter em mãos os livrinhos. Sobre a série, li bem antes de haver os rumores da adaptação para a TV, e mesmo assim as atrizes protagonistas são incrivelmente parecidas com o que eu tinha em mente. Os personagens secundários até que não, mas tenho amado que não há um verniz de passado-bonito-apesar-da-pobreza. Os atores tem caras comuns, semblantes sofridos, cabelos ensebados. Há barriga de meia idade, rugas, olheiras profundas. Roupas que não vestem bem. Até quem está no topo da hierarquia local se confunde com o mais miserável.

* * *

Falta espaço para os livros. Na estante cada lugarzinho está sendo disputado e, onde dá, se empilha. Digo isso bem feliz, porque a vida toda só tive a biblioteca da escola pública como estante acessível.

* * *

Provavelmente sábado será a mudança para São Leopoldo. É preciso pegar a chave pela manhã, ligar a luz, internet e TV, água, colocar os móveis para dentro, rearranjar com os móveis do antigo dono que temporariamente vão ficar juntos aos nossos, instalar as redes em todas as janelas para os três gatos não fugirem, instalar Catarina, a cachorra de 35 kg, ver onde pega sol ou sombra e colocar o lírio-da-paz que tá tão lindo onde tá no momento e também a planta carnívora que no último ano ficou tristinha. Também medir o pátio dos fundos para ver que tamanho de piscina cabe, colocar alguma cerca para plantar alguns temperos. Temos que descobrir quem é a vizinhança, os trajetos, atalhos, caminhos mais seguros, o que é mais legal de fazer final de semana pelas redondezas, onde comprar carne e verduras fresquinhas num preço bom. Talvez pela proximidade física o Aimoré seja nosso novo time do coração. 

Quero que seja nosso lugar de paz. Quase falei "e amor", mas aí já seria good vibes demais. Mas quero que tenha amor em cada cantinho. Agora deu até vontade de instalar uma rede.

Recomeços

7 de agosto de 2018
Oi! Olá? Espero que ainda tenha alguém aí do outro lado. Dei uma longa pausa nesse espaço querido mas não me culpo por isso, tinha outras coisas para fazer e escrever não era uma prioridade no momento. Mas cá estou de volta, aos poucos.

Na formatura, nessa sexta, finalizo de verdade meu vínculo com o curso técnico de modelagem do vestuário. Todos os boletos já foram pagos. Provavelmente pela última vez verei todas as gurias reunidas fazendo uma última bagunça, um último auê, um último estresse com coisas pequenas que logo são esquecidas. Digo última vez não porque os contatos não vão se manter, mas porque a vida acontece e realmente é difícil reunir tanta gente de lugares e histórias e destinos diferentes num só lugar. Mas acredito que nessa história da vida acontecer os caminhos acabam se cruzando uma hora ou outra.


(Algumas das gurias, junto das profs: Juliana, Gisele, eu, Ariadne, Elisiane, Jéssica, Marlova, Eurides, Luana, Bruna, Mariane, Geluza.)

Mas enfim.

Amanhã provavelmente terei um longo dia. Preciso finalizar o blazer que estou fazendo para minha mãe e continuar refazendo o vestido que usarei sexta na já mencionada formatura. O blazer, já adianto, apesar de bem costuradinho, não ficou completamente do jeito que eu queria. Já o vestido, apesar de ficar do jeitinho que eu gostaria, ficou beeem mal costuradinho (fiz em um dia, afinal!) e por isso o retrabalho. Até quinta-feira à noite espero ter tudo terminado. Tomara!

Nesse meio tempo, tenho lido The Hobbit, em inglês mesmo. Tô demorando muito, mas muito tempo mesmo para finalizar a leitura, mas isso porque não tenho dedicado um tempo para ler como fazia antes. Sobre a leitura: um amorzinho, mas não entendo como fizeram uma trilogia disso.

E por hoje é isso. Tenho costurado bastante e tenho vários projetinhos em mente que se eu me organizar posto os processos por aqui. Enquanto isso não acontece, estou lá no Instagram como @marinaribacki. 🔼

Família em festa

29 de janeiro de 2018

Quando se tem a família enorme de gigante é difícil reunir todo mundo e as poucas vezes que isso acontece geralmente são por motivos tristes. Deve ser por isso que a parte italiana do meu sobrenome, ou seja, todo mundo que descende dos meus avós maternos se reuniu num só lugar com nenhum outro motivo além de almoçar junto e fazer festa. Assim, sem nenhuma data comemorativa, nenhum aniversário, nenhuma tragédia. A festa pela festa.




Jogo de bocha, um clássico da colonada


Tudo foto de celular, meio tosca ou mal pensada, mas vale o registro.
 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017